Mamografia tem queda e prevenção é fundamental

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Santa Casa de São José dos Campos apoia a campanha Outubro Rosa, que reforça combate ao câncer de mama

A pandemia da Covid-19 trouxe diversos impactos na realização de exames preventivos, pelo receio das pessoas de contaminação. Um dos afetados foi a mamografia, principal procedimento para o combate do câncer da mama, doença cujo mês de outubro é foco de combate, com a campanha Outubro Rosa, apoiada pela Santa Casa de São José dos Campos.

Levantamento do Radar do Câncer, plataforma de dados idealizada pelo Instituto Oncoguia, mostrou que, em 2020, houve uma queda de 45% em mamografias. Em 2021, a redução foi ainda maior, de 50%, situação vista com temor por especialistas, com a possibilidade de uma onda de diagnóstico de câncer de mama em fase avançada para os próximos anos.

Na Santa Casa de São José dos Campos, houve queda de 13% na realização de mamografias, de janeiro a agosto deste ano, comparado ao mesmo período de 2020.  A mastologista do hospital, Carolina Caobianco, ressalta a importância do exame para o diagnóstico precoce, em caso de ocorrência da doença. “A mamografia é capaz de reduzir a taxa de mortalidade pelo câncer de mama em até 30% e deixar de fazer pode trazer impactos no tamanho da lesão, no tratamento e na possibilidade de cura”, salienta.

O câncer de mama pode ser percebido em fases iniciais, na maioria dos casos, por meio de alguns sinais, como a presença de nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações e/ou saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos e pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço. É importante que a mulher sempre observe suas mamas e, ao perceber qualquer mudança, procure um médico.

A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda a realização anual da mamografia para mulheres acima dos 40 anos. Abaixo dessa idade, a mamografia pode ser indicada para mulheres com suspeita de síndromes hereditárias ou para complementar o diagnóstico, em caso de nódulos palpáveis e se o médico achar necessário.

A confirmação diagnóstica só é feita por meio da biópsia, a qual consiste na retirada de um fragmento do nódulo ou da lesão suspeita por meio de punções (extração por agulha) ou de uma pequena cirurgia. O material retirado é analisado para a definição do diagnóstico.

A mastologista da Santa Casa de São José dos Campos lembra que práticas saudáveis no dia a dia também são importantes para a prevenção do câncer de mama. “É importante manter uma alimentação saudável, fazer atividade física regularmente, não consumir bebidas alcoólicas e, para as mães, o ato de amamentar auxilia muito no combate”, pontua. “É preciso reforçar a orientação da população para a prevenção rotineira e os exames preventivos, pois quanto mais cedo for diagnosticado algum problema, melhores serão as chances de cura”, conclui.

 

Assessoria de Imprensa:

Predicado Comunicação

Carolina Fagnani – carolina@predicado.com.br – (11) 9 9144-5585 WhatsApp

Vanessa de Oliveira – vanessa@predicado.com.br – (11) 9 7529-0140 WhatsApp

Patrícia Soares – patricia@predicado.com.br (11) 9 9571-7400 WhatsApp